quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Modelo de Plano de aula :Tema Ditadura Militar




Plano de aula
Disciplina: História
Professores:
Série: 9º ano do Fundamental.
Números de aulas: 4 aulas de 50 minutos.
Tema: Ditadura militar no Brasil.
Conteúdo: Ditadura e Democracia.
Habilidade:Cenário antes do Golpe, Atos Institucionais, Cultura de Massa, Realidade: Abertura Democrática.

Encaminhamento: problematização inicial:
Refletir sobre as transformações decorrentes ao fim da segunda guerra mundial (redefinição da ordem política, econômica internacional), o mundo deixa para trás o totalitarismo. Será analisado o caso Brasileiro no contexto do golpe, a ditadura e a volta a democracia,  trabalhado com música de Chico Buarque ‘’APESAR DE VOCÊ’’ e fotos do período de repressão para contextualizar este período conturbado da História do Brasil.
- Todos os países da América latina são igualmente influenciados pela polarização mundial?Como que se articula estas influências?Quais as influências são predominantes no Brasil de 64?

Introdução ao conteúdo: GOLPE DE ESTADO
-Golpe de Estado, também conhecido internacionalmente como coup d’État (em francês) e Putsch ou Staatsstreich (em alemão), designa uma mudança de governo súbita, imposta por uma minoria que age com o elemento surpresa.
-Tem este nome de golpe porque se caracteriza por uma ruptura institucional violenta, contrariando a normalidade da lei e da ordem e submetendo o controle do ESTADO(poder político institucionalizado) a pessoas que não haviam sido legalmente designadas .
-Um Golp   e de Estado costuma acontecer quando um grupo político renega as vias institucionais para chegar ao poder e apela para métodos de coação, coerção, chantagem, pressão ou mesmo emprego violencia direto da para desalojar um governo. No modelo mais comum de golpes (principalmente em países do terceiro mundo), as forças rebeladas (civis ou militares) cercam ou tomam de assalto a sede do governo (que pode ser um palácio presidencial ou real, o prédio dos ministérios ou parlamentares), às vezes expulsando, prendendo ou até mesmo executando os membros do governo deposto.  Outros aspectos comuns que acompanham (antecedendo ou sucedendo) um Golpe de Estado são:
·                    suspensão do PODER LEGISLATIVO, com fechamento do congresso ou parlamento;
·                    prisão ou exílio de oposicionistas e membros do governo deposto;
·                    intenso apoio de determinados setores da sociedade civil;
·                    instauração de regime de exceção, com suspensão de direitos civis, cancelamento de eleições e decretação dees, estado de sítio,estado de emergência ou leis marcial;
·                    instituição de novos meios jurídicos (decretos, atos institucionais, nova constituição) para legalizar e legitimar o novo poder constituído.
A DITADURA:
-A ditadura militar no Brasil foi um governo iniciado em abril de 1964, após um golpe articulado pelas Forças Armadas, em 31 de março do mesmo ano, contra o governo do presidente João Goulart. A principal razão, entre as que motivaram o golpe, foi o medo da implantação do conjunto de reformas, especialmente a reforma agrária, que traria como consequência imediata a divisão das grandes propriedades  os latifúndios. A democratização da propriedade da terra não era uma proposta nova.
-A reforma agrária diminuiria o poder dos grandes proprietários, principalmente no Nordeste.Conhecidos como “coronéis”, os latifundiários mantinham os camponeses sob seu domínio e assim manipulavam as eleições, elegendo representantes que defendiam sempre seus interesses, prática que impedia a formação de uma consciência de cidadania: os trabalhadores rurais explorados e subjugados, mal tinham condições de sobrevivência.
-Na história republicana brasileira, ocorreram diversas intervenções militares de curta duração. Desta vez, entretanto, o país foi surpreendido por cenas de força e violência: tanques, caminhões e jipes de guerra ocuparam as ruas das principais cidades brasileiras e instituições como a igreja Católica  que inicialmente apoiaram a ditadura, e os EUA acompanharam principalmente através de seu embaixador no Brasil, Lincoln Gordon, e do adido militar, Vernon Walter, e haviam decidido, através de operação secreta dar apoio logístico aos militares golpistas.
-No campo político, porém, não havia sinal de retorno á democracia. Os militares defendiam um endurecimento maior do regime, a chamada “linha dura”. Vieram as perseguições políticas, em missões organizadas pelos órgãos de segurança do governo. Uma onda de protestos surgiu em todo o país, com enfrentamento direto entre as forças de segurança contra os trabalhadores, democratas e estudantes, crescendo para grandes manifestações reivindicatórias e de contestação ao regime. Enquanto a oposição radicalizava, o autoritarismo e a repressão recrudesciam.
DEMOCRACIA
-Democracia é um regime de governo onde o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos, direta ou indiretamente, por meio de representantes eleitos — forma mais usual. Uma democracia pode existir num sistema presidencialista ou parlamentarismo, republicano ou monárquico.
-As Democracias podem ser divididas em diferentes tipos, baseado em um número de distinções. A distinção mais importante acontece entre a democracia aberta (algumas vezes chamada “democracia pura”), onde o povo expressa a sua vontade por voto direto em cada assunto particular, e a democracia indireta onde o povo expressa sua vontade através da eleição de representantes que tomam decisões em nome daqueles que os elegeram.
-Outros itens importantes na democracia incluem exatamente quem é “o Povo”, isto é, quem terá direito ao voto; como proteger os direitos de minorias contra a “tirania da maioria” e qual sistema deve ser usado para a eleição de representantes. 
-Desde a segunda guerra mundial a democracia tem ganhado ampla aceitação.Muitas sociedades no passado negaram a pessoas o direito de votar baseadas no grupo étnico,o exemplo brasileiro de 1964 temos atos que restrigem todas as formas democraticas como vimos nos atos institucionais:
-A 9 de abril, o primeiro Ato Institucional foi decretado e transferia poderes excepcionais para o executivo, ao mesmo tempo em que subtraia a autonomia do legislativo. O AI-1 marcava eleições presidenciais para outubro de 1965 e concedia à Junta, entre outros tantos, o poder de cassar mandatos parlamentares. Dois dias depois, o marechal Castelo Branco - chefe do estado maior e coordenador do golpe contra Jango - foram eleitos presidente pelo Congresso.
-Nesse período o Brasil cresceu mais depressa que os demais mercados latino-americanos. Foram atingidos altos índices de desenvolvimento econômico sob a falsa idéia de “surto de progresso” que o país vivia. O governo impunha à população, quer pela mídia, quer pelo silêncio ditado pela censura, o “milagre econômico”, ou “milagre brasileiro”, projeto conduzido pelo então Ministro da Fazenda, Delfim Neto. Com a abertura do país ao capital estrangeiro, dezenas de empresas multinacionais se instalaram no Brasil e os grandes fazendeiros passaram a produzir para exportação.
Internamente, o “milagre”:
·                    aumentou a produção de bens de consumo;
·                    determinou uma austera política salarial;
·                    concedeu privilégios e vantagens a empresários internacionais, o que estimulou uma maior aplicação de capital, principalmente estrangeiro, no Brasil.
-Em novembro de 1974, a eleição para o Senado evidenciava o grau de aceitação da política implantada pela ditadura: dos vinte e dois parlamentares eleitos, dezesseis eram do MDB, representando os estados mais importantes do país. Esse resultado refletia o apoio da população aos programas que defendiam respeito aos direitos humanos; revogação do AI-5 e do decreto 477; anistia; fim das prisões, das torturas, dos desaparecimentos e dos assassinatos de presos políticos.
-As manifestações colocavam-se abertamente contra a ditadura: jornais independentes, estudantes, sindicalistas, intelectuais e profissionais liberais, reunidos, questionavam os rumos da distenção imposta por Geisel. Quanto mais a oposição crescia, mais o governo reagia: Geisel fechou o Congresso Nacional a 1º de abril de 1977 e impôs um conjunto de medidas arbitrárias, que ficaram conhecidas como “Pacote de Abril”.
As novas regras:
·                    Um terço dos SENADORES seriam eleitos indiretamente.
·                    A Constituição poderia ser alterada somente com a maioria absoluta, não mais com os dois terços antes exigidos.
·                    Os governadores de estado seriam eleitos indiretamente (1978).
·                    Limitou o acesso a radio e à televisão.
-Em 8 de maio de 1985, o congresso nacional aprovou emenda constitucional que acabava com os últimos vestígios da ditadura. Algumas das medidas aprovadas:
·                    Por 458 votos na câmara e 62 no senado foi aprovada a eleição direta para presidente (mas em dois turnos);
·                    Com apenas 32 votos contra na câmara e 2 no senado, foi aprovado o direito ao voto para os analfabetos;
·                    Os partidos comunistas deixaram de ser proibidos;
·                    Os prefeitos de capitais, estâncias hidrominerais e municípios considerados de segurança nacional voltariam a ser eleito diretamente;
·                    O DISTRITO FEDERAL passou a ser representado no Congresso Nacional por três senadores e oito deputados federais.
·                    Acabou com a fidelidade partidária;
Finalmente em 28 de junho, Sarney enviou a emenda constitucional que convocava as Assembléia Nacional constituintes, que foi aprovada em 22 de novembro (Emenda Constitucionais 26). Na verdade, por uma conveniência política, a Constituinte seria composta pelos mesmos deputados legisladores.
QUESTIONAMENTOS:
Como nasceram  as forças sociais que influenciaram no golpe?
Qual a influência populista na politica nacional Brasileira?
 Qual o objetivo norte americano dentro contexto do ditatorial no Brasil?
Como a união  nacional dos estudantes atuou contra a repressão do estado ditatorial?
Como a música  popular brasileira interagiu dentro da realidade repressiva  do estado ditatorial?
Qual a real influência comunista dentro dos movimentos contra a ditadura?
Qual a intenção do governo ditatorial ao implantar o A I 5 no controle do estado?
Como ficou a divisão social pós ditadura?
ATIVIDADES PROPOSTAS:
Qual gênero, instrumentos e estrutura da canção?
Qual significado do titulo da canção?
Como a canção interage com o ouvinte?
A canção faz uma comparação com qual peírodo histórico?
A canção aborda as mudanças ou as permanências?transformações ou continuidades?
Qual o papel das fotos dentro de uma análise histórica?
Qual mensagem que a canção transmite?
Quais as relações entre o Brasil ditatorial e o novo Brasil?
Quais as relações entre a ditadura e a atual situação governamental,social,politica e culturaldo povo Brasileiro contemporâneo?
Quaisl as vozes da canção?quem fala ?pra quem fala?quem vai ter que ver?
Qual é o significado de ‘’amanhã vai ser outro dia,  hoje você é quem manda’’?
LINGUAGENS QUE SERÂO UTILIZADAS:
-Aúdio-visual,
-Aulas problematizadas.
MATERIAL: livro didático, aparelho de som, TV, DVD.
Referências: 1964=1985 A subversão do Esquecimento Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais, 31 de março de 2004.
O Golpe de 1964 e o regime de 1968: Aspectos Conjunturais e Variáveis Históricas. Adriano Nervo Codato. 1997 editora digit.
REVISTAS: Desvendando a Historia Editora Escala Educacional. Editora e Coordenadora geral: Mariana Bergel. Editora escala educacional
 Caros Amigos, coleção a ditadura militar no Brasil, fascículos 3, 4, 5, 7, 8. Editora casa amarela 2007.
CBC –História
Tema 3:Anos de Chumbo e Anos Rebeldes:a Ditadura Militar(1964-1985)
Tópicos: Repressão, resistência  política e produção cultural no Brasil.
Habilidades: 21.1/21.2/21.3/21.4/21.5/21.6/21.7/21.8(foco)
Matriz Referência- Simave /Proeb
Descritores: D3/D8/D18/D12/D23 .


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário